sábado, 18 de janeiro de 2014

Gibraltar - Impressões do Rochedo


The Rock - É este o nome popularmente dado a esse estranho enclave britânico no sul de Espanha, que controla a passagem do Atlântico para o Mediterrâneo. E, realmente, é esse aspeto, estranho e súbito, do enorme rochedo, a primeira coisa que nos chama a atenção. Eleva-se abrutamente na paisagem, exibindo a sua eterna coroa de nuvens.
Quando se sobe ao topo do Rochedo, percebe-se a origem dessa nuvem. O ar húmido do mar bate na parede alta e escarpada e é obrigado a subir, condensando-se lá no cimo e dando esse aspeto de boné de garoto, atirado com a pala para trás!
Gibraltar não engana ninguém, é um território britânico. Dos nomes das ruas às bandeiras, dos pubs à libra estrlina, a Inglaterra está sempre presente. E, no entanto, são milhares os trabalhadores espanhóis que, diariamente, cruzam a fronteira para trabalhar do lado de lá. Montados nas suas bicicletas ou em pequenas motas, formam filas intermináveis à entrada ou à saída, mostrando a sua identificação com o ar de quem faz desse gesto um costume.


Não são apenas espanhóis, há muitos emigrantes, com os mais variados tons de pele. À entrada ou à saída, juntamente com os turistas, todos param junto à pista de aterragem do aeroporto, que cruza a estrada principal, junto à fronteira. É mais uma das originalidades de Gibraltar!


O topo do Rochedo é um parque e uma reserva natural. À entrada, uma escultura recorda-nos o nome antigo deste estreito: as Colunas de Hércules.
O interior do Rochedo lembra um queijo suiço: quilómetros e quilómetros de túneis configuram uma instalação militar da maior importância, principalmente desde o século XVII. Alguns troços dos túneis são visitáveis, e podem ver-se os canhões e as casamatas, assim como figuras e cenários que reconstituem algumas das batalhas mais significativas que ali se travaram. Mas a maioria dos túneis são absolutamente vedados, pertencendo às instalações militares britânicas, até hoje ali aquarteladas.


Um dos lugares visitáveis mais interessantes, dentro do Rochedo, é uma gruta - St. Michael's Cave - enorme, com belas estalactites e estalagmites, agora transformado numa sala de concertos.


Por todo o lado se encontram macacos. São a única espécie de macacos oriunda da Europa e que ainda aqui vive em liberdade, e são a grande atração do Parque Natural do Rochedo de Gibraltar. É uma colónia enorme, com os membros bem identificados e aparecem em todo o lado. Apesar de haver regularmente avisos para não dar comida aos macacos, há sempre quem o faça, o que os torna atrevidos e mal-educados. Mas não deixam de ser muito engraçados, com as suas brincadeiras, as suas poses e as suas expressões, quase humanas.


Do outro lado do Rochedo, o farol de Europa Point avisa-nos de que estamos num dos pontos extremos da Europa, lugar de passagem mas também de cruzamento de influências diversas. Talvez por isso, o maior edifício ali construído é uma mesquita!
Decididamente, é um Rochedo diferente!


(Texto e fotos de Teresa Diniz)

Diana de Poitiers, Chenonceau e os outros castelos do Loire

Entrada do Castelo de Chenonceau Falar do Vale do Loire remete-nos de uma forma quase imediata para os Castelos do Loire. Não conheço ...